sexta-feira, 25 de agosto de 2023

A Corrente do Encanto





Duvida da luz dos astros,
De que o sol tenha calor,
Duvida até da verdade,
Mas confia em meu amor.
(William Shakespeare)

Amor precioso de proteção, 

tanta falta nos faz 

nas ausências...


Boas memórias aliviam a saudade,

cheio de surpresas,

transmite uma ternura sem igual.


A confiança em se ser cuidada 

leva-nos nas correntes,

na correnteza do encanto.








9 comentários:

  1. Essa linda corrente nunca perde seus elos, é forte e linda! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. Realmente amiga, boas memórias aliviam a saudade.
    Boa noite e abençoado domingo.
    Paz e luz.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Belo e sentido, Rosélia! É aparentemente paradoxal, amiga, mas a saudade, ao tempo em que nos magoa, traz o alívio das boas lembranças. Triste, mesmo, seria não ter o que lembrar! Meu abraço, boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Tem toda a razão, as boas memórias aliviam a saudade.
    Lindo poema
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Olá Roselia!
    Que bom que temos memórias.
    Tenha uma semana repleta de muita luz
    abraços Loiva

    ResponderExcluir
  6. Ivete Sangalo no seu melhor!
    Uma canção que me relembra momentos muito lindos!
    Saudades do amar de antigamente!
    " A gente só queria amar e amar".
    Um beijinho e uma noite abençoada!
    💛😉💛 Megy Maia

    ResponderExcluir
  7. Bonita música!
    Bonitas palavras em composição poética!
    O amor sempre transborda.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Rosélia, eu também sinto muitas saudades, as memória de tempos idos podem doer quando o tempo atual não é tão bom quanto antes...
    Quanto à canção, sem sombra de dúvida é a mais bela da Ivete Sangalo, algo que toca alma suavemente...Eu amo!!
    Beijos querida e um lindo final de semana!

    ResponderExcluir
  9. Poeticamente perfeito, lindo de ler.
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir

Sono Induzido

  " Grande coisa é o Amor, é um bem absolutamente grande, é o único que torna leve o que é oneroso, a única coisa que dá sabor aquilo...