quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Amor de Nefelibata








Nefelibata: que ou quem vive nas nuvens; diz-se também do escritor que não obedece às regras literárias; alguém demasiado idealista, que foge da realidade.

Depois aprendi mais, e descobri que há escritores à paisana, disfarçados de gente e camuflados de cinzento.

Descobri que há agentes secretos infiltrados na vida, prontos a recolher qualquer conversa banal e a torcer-lhes os sentidos até serem outra coisa qualquer, nos piores casos, até poesia. 

São homens e mulheres de dedos hábeis, capazes de eliminar mesmo as lógicas mais sutis, mesmo as regras mais antigas.

Um corpo que insiste em voar.

O mundo nunca foi um lugar 'recomendável', e por isso, fomos aprimorando a arte da fuga: pelas ideias, por Deus, pelo Amor...

Capazes de desaparecer mesmo de onde nunca estiveram. 

Lá vai o artista por um caminho que só ele conhece.

Chamam-lhes de loucos, estão sempre adiantados ou atrasados em relação ao tempo dos outros e, alguns, nem cumprem as “regras literárias”. 

Romperam com o passado e abriram novos caminhos...

Souberam desobedecer às regras literárias do modo mais escrupuloso.

Afinal, a realidade estava de fora das regras.

Olhavam para as nuvens e nelas descobriam os tigres e os dragões que lhe habitavam os sonhos. 

As nuvens são próximas da imaginação, ideias que voam e vão tomando as formas que lhes soubermos encontrar.  

Transformam o ridículo e o inverossímil em hipóteses, memórias e experiências.

Os homens são cheios de nuvens e não sabem...

Há quem respire por palavras e músicas secretas, quem se passeie no céu porque só o azul lhe aguenta o peso.

Em todos os tempos há quem critique os sonhadores, os intelectuais e os poetas.

O príncipe Andrei Bolkonsky é derrubado pelo exército francês na batalha de Austerlitz e, deitado no chão, pensa para si mesmo: 

“Que tranquilo e sereno céu, tudo é vazio, tudo engano e decepção, exceto o céu infinito”.

Tudo é vaidade e correr atrás do vento, diz o Eclesiastes, mas o céu é verdadeiro, o céu espelha os homens sem lhes perguntar razões.

Lançados ao vento, que voem para não cair, que se raptem a si mesmos e fujam ao peso de ter peso!"
('Un Mot d'Ailleurs' - Em outro lugar)



Eu sou a prova viva do remar contra a maré...
Sou uma nefelibata assumida. 
(Diz-se do poeta que ninguém dá nada por ele).


Amor Nefelibata



Amor que não obedece regras,
Amor que me faz andar nas nuvens,
Amor que me enche de ideias nobres,
Amor nubívago, delicioso, terno, sem rédeas,
Como carregar uma criança bebezinha no colo,
Sensação térmica aumentada... quentura de corpo,
Amor além das 'coerências' da vida, calor do coração,
Amor de nuvem mágica, empolgante, extasiante, em ação,
Amor de sonhadores, de românticos, de loucos, de ditosos...
Amor abstrato, sem sentido aos olhos dos indigestos, mas de regaço.

Nuvem é disfarce, 
é ocultação, é sigilo,
É torre de marfim, 
é sólido, valoroso, primoroso,
É Amor observador,  
ninguém dá algum valor,
Amor não se apalpa, 
é luminoso, complexo, é reflexo!
Altamente espiritual, 
dois seres amantes sem muitos porquês...







16 comentários:

  1. UAU! Que lindo! Adorei o rtexto inicial e abordagem sobre os nefelibatas, o que são, como são...
    A tua poesia falando desse amor nefelibata ficou linda demais!Um amor sem explicações, espiritual e tão forte!
    Beleza! beijos, ótimo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Fantástico texto, não conhecia a palavra "Nefelibata" e lindo e sentido poema.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Em Portugal há poetas consagrados que têm carateísticas de nefelibatas.
    Com o mundo em guerra, nos dias de hoje pode ser uma vantagem ser nefelibata, poder andar nas nuvens.
    Continuação de bom fim de semana.
    Abraço de apz e amizade.
    Juvenal Nunes

    ResponderExcluir
  4. Que texto minha Amiga Rosélia! Deu gosto ler. Eu concordo que a realidade está fora das regras. É preciso continuar a sonhar e a ter esperança. E também sei que o amor é luminoso e complexo.
    Tudo de bom.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não conhecia a palavra. Mas como é bom, minha amiga, poder viver um pouco nas nuvens! Escapar do cinza em que os homens transformam a realidade, dá um novo colorido a nossas vidas! Meus abraço, boa semana; feliz com as tuas melhoras!

    ResponderExcluir
  6. Nossa Rosélia, como aprendi no seu post desta semana! Primeiramente não tinha conhecimento da palavra " Nefelibata."
    Achei a representação incrível, um texto grandioso que fizeste explicando para todos nós a grandeza e a criatividade por traz desta nova palavra, que agora também fará parte do meu vocabulário.
    Creio que para sobreviver neste mundo caótico, todos nós precisamos ser um pouco " nefelibatas", andar nas nuvens é preciso para não enlouquecer...
    É mesmo uma poetisa muito inspirada querida!!
    Beijos e uma semana muito especial!!

    ResponderExcluir
  7. Uau, quanto aprendizado na sua postagem. Não conhecia. Obrigada por nós trazer esse conhecimento. Bjinhos

    ResponderExcluir
  8. "É sólido, valoroso, primoroso" -
    Achei belíssimo o seu poema sobre o tema.
    O termo usava-se na literatura atualmente não sei...
    Geralmente final do mês é quando consigo estar mais presente
    na web por conta de montar o blog para o dia primeiro, ainda bem
    que não perdi esse seu post gostei muito.
    Continuação de uma boa semana.
    janicce.

    ResponderExcluir
  9. Bravo!!!!

    Caríssima amiga Rosélia.

    Obrigada pela partilha, pois não conhecia e por aqui aprendi, e fiquei sabida rsrsrs

    Então, vamos desconstruir o dito normal

    ResponderExcluir
  10. Voltei porque ficou incompleto.

    Então, vamos tentar "desconstruir" os ditos normais e : "voar...voar, subir..subir" cantor : Guilherme Arantes.

    Segue votos para uma semana ricamente abençoada.
    Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Amiga Rosélia,
    Não conhecia esse termo e também me considero uma nefelibata;))!
    Escrevo sem regras ao sabor do momento!
    O seu poema sobre o Amor é maravilhoso.
    É bom sermos nefelibatas, porque escrevemos o que e como sentimos.
    Beijinhos fraternos de paz e bem e uma tarde muito abençoada.
    Emília

    ResponderExcluir
  12. Maravilhosa a tua postagem Roselia!
    O mundo em que vivemos está muito para além do que o nosso olhar alcança! A imaginação permite-nos viajar por outros universos, onde tudo pode acontecer e o impossóvel não existe! São esses universos maravilhosos que alimentam os poetas na sia visão mais ampla de realidades que ainda não conhecemos bem.
    As maravilhosas palavras que nos deixas, traduzem a capacidade concreta de olhar a lógica no mundo e do homem na sua complexa dimensão!... Parabéns pelo teu magnifico trabalho!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Uau!!!
    Querida amiga Roselia, que linda a sua publicação.
    E o que eu aprendi aqui sobre 'nefelibatismo', a tal tendência de viver fora das normas, perdido em pensamentos e devaneios. Gostei!
    E também gostei, muito, da sua arte de poetar o amor, principalmente do tal "Amor além das 'coerências' da vida".
    Um beijo carinhoso, bom fim-de-semana, seja feliz minha amiga.

    ResponderExcluir
  14. Que maravilha ler as suas palavras escutando a música que aqui deixou.
    Conheço a expressão Nefelibata, faz muitos anos fui ver ao dicionário e gostei logo, porque uma das definições que lá estava era : era alguém que vive nas nuvens e eu adoro-as :)
    Desde pequenita que a minha mãe sempre me ralhava por andar sempre com a cabeça nas nuvens.
    Gosto da sua maneira de lançar as palavras, que nos tocam, assim como brisas doces.
    Deixo abraço*****

    ResponderExcluir
  15. me aceito e reconheço que sou nefelibata. Amei, amei amei, pensar fora da caixa! Beijos amadinha!

    ResponderExcluir

Cicatrizes de Amor

                  Tenho a janela do meu coração fechada. Os segredos continuarão enterrados. Sei bem como é perder o viço contra nossa vont...